As Competências do Líder 4.0 ajudam nas Crises?

Nesse momento de crise, nada mais importante do que termos em mente um propósito que nos faça direcionar nossas energias de forma produtiva. 

Nós, da F&M Consultores, sempre tivemos como missão focar na ampliação da consciência como caminho para o desenvolvimento humano, e agora, mais do que nunca, temos a obrigação de ampliarmos nossa consciência para tudo o que está acontecendo no mundo, bem como com a nossa relação com o universo.

Nunca foi tão importante e tão imprescindível para esse momento rever nossos modelos mentais, porque tudo que acreditávamos a um tempo atrás, nos dias atuais estamos sendo obrigados a rever e repensar. Todas as verdades absolutas caíram por terra e para isso temos que procurar   novos paradigmas, uma nova forma de enxergar a vida.

Nesse momento tão delicado para todos,  nesse período em que estamos em casa, sem nossa equipe, tendo que fazer o trabalho remoto, com questões nunca enfrentadas antes, vamos refletir um pouco sobre  liderança 4.0, onde as transformações ocorrem com tanta rapidez e são tão imprevisíveis que os modelos e comportamentos pré-estabelecidos não são sustentáveis.

Hoje, temos que lidar com nossas vulnerabilidades perante outras pessoas, realizar que nossa rotina mudou muito, o que é extremamente difícil para todos, pois saímos da nossa zona de conforto. Além disso estão surgindo a todo instante questionamentos: como será daqui para frente, o que vai acontecer com o meu trabalho, sentimentos esses de uma angústia enorme. Esse mar de incertezas, falta de previsibilidade e complexidade que afloram em todos nós, deixa claro que estamos no mundo VUCA: veloz, incerto, complexo e ambíguo

Antes da crise, olhávamos para o mundo VUCA mais para o lado empresarial e econômico, mas hoje, podemos sentir que está em nossa casa, nas empresas, nas cidades, nos estados, no país, enfim no mundo.

O mundo hoje está sofrendo mudanças velozes, em uma exponencial enorme. Não temos ideia do que realmente vai acontecer. Sabemos que tudo mudou de uma hora para outra:  trabalho, vida, comportamento social, familiar, econômico, entre outros. Uma tremenda incerteza.

Essa crise atual veio de forma a atingir vários níveis da sociedade, pois não fica restrita a um país, mas sim ao mundo como um todo, deixando nossas vidas ambíguas e complexas.

No fundo, de modo geral , todos sabíamos  que alguma coisa ia acontecer, estávamos num momento de total  loucura das empresas querendo mais e mais, com metas atrás de metas, fazendo uma pressão enorme em seus colaboradores, e se pararmos para pensar, já tínhamos nos dado conta de  vários sinais dessa pressão insuportável, mas ao mesmo tempo não queríamos nos deter para analisar a questão a fundo.

Então, agora é o momento! Não temos mais como fugir e precisamos desenvolver novas competências. Que competências são essas? Exatamente as competências da Liderança 4.0, importantes não só para os líderes, mas para todas as pessoas que estejam vivendo nesse inesquecível ano de 2020. 

Mas que paradigmas e competências são esses?  O grande paradigma a mudar está na relação entre resultado e pessoas. Não podemos mais pensar em resultado e pessoas de modo separados, mas sim integrados. No velho paradigma as pessoas existiam tão e somente para servir aos resultados. Ou seja, o resultado precisava acontecer, independentemente se vai ser bom ou não para as pessoas, sendo elas apenas ferramentas para se chegar ao resultado. 

O novo paradigma é que os resultados precisam ser definidos e construídos para as pessoas, para que fiquem juntas, cresçam e se desenvolvam.  Contrário do que acontecia anteriormente, hoje tudo está estagnado aguardando as pessoas se curarem. Para isso acontecer teremos que fazer uma grande mudança no nosso mindset. Será que vamos conseguir?

É importante saber que resultados e pessoas devem caminhar juntos. Precisamos pensar quais resultados futuros devemos esperar após a crise, como vamos lidar com as novas estruturas físicas, que ajustes devem ser feitos, como vamos projetar o próximo semestre, o próximo ano. Para isso, é indispensável uma das competências mais importantes da Liderança 4.0 que é a Visão do Todo e Multidisciplinar.

O foco no resultado precisa existir, mas sua projeção deve ser favorável às pessoas, sejam clientes ou colaboradores. O consumo por futilidades vai diminuir e a valorização do nacional retorna. O líder precisará se perguntar o que pode fazer para facilitar o trabalho da sua equipe , como integrar as tecnologias no cotidiano das empresas, não só para produzirem lucros, mas sobretudo para tornar o trabalho mais agradável, sem a sensação de escravidão, por sinal criada por nós mesmos quando fazemos algo que não queremos, que não gostamos.

Mas se o trabalho é um ofício sagrado, por que as pessoas se sentem tão insatisfeitas? O que mais se ouvia antes da crise era uma sensação de exaustão e de desânimo total ao ter que se dirigir ao trabalho. Após a crise e baseado nessa insatisfação geral das pessoas, vamos ter que entrar em um outro patamar, um novo olhar, tanto para a vida profissional como pessoal.

Não poderemos ficar reclamando mais. O momento será da competência de Ação. E, para tanto, aparece outra competência, a agilidade, fundamental para que rapidamente trabalhemos o reposicionamento, novos produtos, novas formas de trabalho e novas estruturas. Já é assim desde que a crise iniciou e deve seguir assim, aprofundando a necessidade de pensarmos e agirmos de forma ágil.  

Outra competência considerada essencial na Liderança 4.0 e imprescindível nesse momento é a inteligência inter artificial, ou seja, a inteligência que temos para lidar com a inteligência artificial, internet das coisas e cloud computer. Precisaremos entender mais profundamente as novas dores dos nossos clientes e resolver problemas que ninguém havia notado antes, diminuindo o tempo gasto com tarefas. 

A inovação é considerada outra importante competência, mas agora é o tempo de inovar em todos os sentidos: no pensar, no sentir, no relacionar. É romper com os modelos antigos para uma nova era, de um novo jeito de ser. 

Outra competência fundamental é a simplicidade, é fazermos o que precisa ser feito de maneira simples, não complicar o que pode ser resolvido rapidamente. Precisamos parar para pensar se estamos sendo simples em nossa casa, em nosso trabalho, em nossas amizades e relacionamentos. Isso vale para a eliminação de queixas e desculpas. Agora é o momento de agir de forma simples e rápida, sem melindres, sem questionamentos infundados. Encarar o que precisa ser feito, não procrastinar.

Nesse momento de crise, sempre há 2 tipos de pessoa: as que param para se lamentar e as que param para criar.  Em qual delas você está inserido? Para potencializamos nossa criatividade, há que se fugir do pessimismo, aproveitar as oportunidades que surgem, criar novas estratégias e acreditar que tudo passa, inclusive momentos difíceis. 

Nesse mar de novas competências, destaca-se o arquétipo do Healer, ou seja, do curador. Ajudarmos uns aos outros, trazendo cura para as relações, para as dores humanas, seja através de uma conversa, de uma boa escuta, ou de um feedback assertivo, são ações dessa competência tão importante. Em nenhuma outra época houve tanta gente oferecendo serviços gratuitos, tantos profissionais da saúde oferecendo serviços de psicologia online, o que nos mostra a importância dessa competência. Um ponto de destaque refere-se ao fato de que, se curamos os outros, na verdade, estamos nos curando. É através de uma boa conversa que curamos e somos curados. 

Outra competência da Liderança 4.0 e extremamente vivida hoje é a de sermos Teacher/ Learner, todos estamos ensinando e aprendendo ao mesmo tempo. Ex.: um professor ensina história online, ao mesmo tempo em que aprende a lidar melhor com a tecnologia. a partir de orientações do próprio aluno. Um líder está conduzindo uma reunião à distância e aprende a discutir colaborativamente.

Para que esse foco nas pessoas seja dado com maestria, há outras competências tão importantes quanto as que vimos até agora. 

A inteligência intrapessoal é como se identifica e se lida com as próprias emoções e sentimentos. Essa é uma das competências que mais precisamos nesse momento onde confundimos o externo (noticiários e informações), com o interno (nossa mente). Para isso precisa-se construir o alinhamento e equilíbrio interno, conseguido através de uma profunda auto observação, seguida de uma ação que tenha foco na ação simples.

Outra competência é a inteligência interpessoal que é a habilidade de se relacionar e entender as emoções de outras pessoas de forma adequada e de como lidar e alinhar expectativas, como lidar com os colaboradores a distância, com o pessoal de casa, como relacionar com outras pessoas.

A conexão é outra competência que tem como objetivo manter-nos conectados com tudo e com todos, mas, principalmente desenvolvermos a consciência da interdependência. Quando fazemos uma ação estamos fazendo para todos, não só para alguns. Essa conexão, nesse momento, é mundial, e temos que tomar cuidado porque qualquer ação nossa pode ser ligada a outras pessoas, portanto, temos opção de nos conectarmos com coisas boas ou coisas ruins, depende só de nós. 

Outra competência muito falada hoje em dia é a empatia. É a capacidade de sentirmos o que sentiria outra pessoa caso estivéssemos na mesma situação, é sentir a dor do outro independentemente se for branco, negro, homem, mulher, jovem ou velho, se é líder ou se é liderado, enfim é ter a empatia, é sentir o outro, afinal um ser que é igual a você.

E assim, várias competências foram destacadas, como sendo as competências para os nossos dias. Para finalizar, afirmo que quando falamos em liderança 4.0 não podemos nos direcionar apenas para as empresas, para resultados, mas sim para tudo que estamos vivenciando messe período de 2020.

Fica aqui o convite para você desenvolvê-las:

http://fatima-motta.eadbox.com/

Profa. Dra. Fátima Motta

Total de 986 visualizações até a data de 23/01/2023

130 Post Views
plugins premium WordPress