A formação de equipes como principal desafio da liderança – parte 3

Acompanhamento da Equipe

 

Na primeira parte desta série trabalhamos com aspectos ligados à escolha das pessoas certas para compor um time, ou seja, a definição do perfil do cargo, das competências necessárias e como aplicar ferramentas de seleção para fazer a escolha certa.

 

Na segunda etapa trabalhamos o alinhamento de expectativas. É quando combinamos o jogo.

 

A terceira etapa, é quando acompanhamos se o jogo está sendo jogado da forma certa ou não.

 

Como acompanhar a equipe?

 

Acompanhar é observar diretamente e sem preconceitos a atuação das pessoas da equipe. É prestar atenção plena nas possíveis dúvidas, mas também nas preocupações, inseguranças, medo e ansiedade presentes na realização das funções / tarefas solicitadas.

 

É necessário acompanhar o que a pessoa faz, o que entrega, mas, acima de tudo, como entrega.

 

Ou seja, precisa-se acompanhar as hard skills e as soft skills.

 

Para isso, sugiro que o líder tenha sempre uma forma de registro que contenha suas observações sobre o desempenho dos colaboradores. Ou seja, no alinhamento ficou acordado o que deveria ser entregue e como deveria ser entregue. E, claro, isso deve ser traduzido em competências, claramente identificáveis a partir da observação de fatos e registros.

 

Por exemplo: um dos combinados refere-se ao resultado de peças / produtos vendidos (numericamente) e os valores de integridade, respeito e trabalho em equipe são fundamentais para uma determinada empresa. 

 

Cabe ao líder acompanhar se a meta de vendas está sendo conseguida e, se os valores estão sendo considerados. Caminhando em direção aos fatos, teríamos o volume de vendas em si, mas o acompanhamento em relação a impostos, aos descontos dados a partir de procedimentos estabelecidos e a forma como vendedor e cliente se tratam, refletindo os valores de integridade e respeito. 

 

Também outro item a ser acompanhado seria a forma como esse profissional se relaciona com as outras pessoas da equipe.

 

Fatos e dados devem ser anotados, de tal forma que fique muito claro para o líder o desempenho do profissional. Isso é fundamental, porque, como seres humanos que somos, depois de um tempo, esquecemos, distorcemos, projetamos e identificamos os fatos e pessoas, de tal forma, que os nossos sentidos são traídos por nós mesmos. Sendo assim, quanto mais fatos e dados forem anotados, melhor será o acompanhamento.

 

O que fazer com o que se observa?

 

Todos os aspectos acompanhados e relevantes precisam ser devolvidos para os colaboradores em forma de feedback. Evidente que o feedback não deve ser dado a cada minuto, mas sim, em eventos importantes, relevantes para a permanência desse profissional na empresa.

 

Como o processo de formação da equipe não termina nunca, é necessário que se acompanhe não só os novos, como todos os profissionais que fazem parte do time. A diferença é que, quando um profissional acabou de chegar na equipe e ainda está em fase de experiência, esse acompanhamento deve ser muito mais presente e contínuo. Já um profissional que está há um bom tempo na empresa, precisa ser acompanhado, mas apenas em fatos ou situações relevantes para o alcance do resultado.

 

Assim, tanto para os profissionais que chegam quanto para os profissionais que já fazem parte do time, o acompanhamento, seguido de um bom feedback ajuda o time a perceber seus pontos fortes e o que precisa ser alterado para o alcance de resultados.

 

De quanto em quanto tempo deve-se acompanhar a equipe?

 

Em trabalhos novos o acompanhamento é mais direto e cabe aos líderes maiores cuidados no acompanhamento.

 

Em trabalhos conhecidos, pode-se acompanhar com mais distância.

 

Vale lembrar sempre do que já se conhece sobre liderança situacional. Quanto mais nova for a situação, quanto mais imaturo profissional ou pessoalmente for o colaborador, mais próximo é o acompanhamento. Quanto mais conhecida for a situação e mais maduro pessoal e profissionalmente for o colaborador, o acompanhamento poderá ser mais distante.

 

No entanto, de uma maneira geral, sempre que estivermos próximos dos colaboradores, é importante que a atenção esteja direcionada ao acompanhamento. É parecido quando um pai fica com seu filho e acompanha seus movimentos para poder direcioná-lo na vida da melhor forma possível.

 

Dica Final

 

Acompanhar um colaborador é um ato de cuidado, sustentação de boas práticas e um trabalho de desenvolvimento humano. Sendo assim, observe sem julgar, registre e dê feedback. É só a partir do acompanhamento que se pode avaliar os colaboradores, assunto do nosso próximo artigo.

 

Profa. Dra. Fátima Motta

 

 

São inúmeros os desafios enfrentados pelos líderes diariamente. A dúvida, a falta de clareza e de autoconhecimento atrapalham na agilidade e assertividade em relação a equipe e cliente. Que tal trabalhar tudo isso com uma mentoria? Há mais de 30 anos acompanho o desenvolvimento de líderes. Venha fazer mentoria comigo! Entre em contato para mais informações. whatsapp (11) 99955-5180

 

225 Post Views
plugins premium WordPress