MÃE ERRA!!!!!

Este pequeno texto tem como objetivo homenagear a todas as mães que erram.

 

Neste mundo globalizado, líquido, as exigências se sobrepõem: beleza, corpo perfeito, comida perfeita, líder perfeito, funcionários perfeitos, enfim, chegamos às mães perfeitas.

 

Assim, paira em todas as mães, uma obrigatoriedade da perfeição. Mãe nunca fica cansada, nunca pode querer brigar com o filho, tem que sempre estar disposta, dar tudo que tem para ver seu filho feliz, trabalhar para ajudar nas contas de casas, mas não deixar faltar carinho, amor, alimento, nutrição e acolhimento a todos.

 

Diante dessas obrigações, a super mulher, a super mãe entra em ação e se cobra de todas as formas para ser ou uma super esposa, sempre disponível e disposta, ou uma super mãe, sempre acolhedora, com tempo para ver as lições de casa, as festas de judô , fazer as comidinhas gostosas e, sem esquecer que tem que ser boa filha também. Ou seja, também precisa cuidar dos pais e, muitas vezes também dos irmãos.

 

Some-se a isso a mulher executiva, que precisa manter a linha, pintar os cabelos para não deixar a idade aparecer muito, segurar a flacidez para que não a vejam como desleixada e nunca parecer indisposta, porque se não dirão que está com TPM ou na menopausa. Sentir muito calor, nem pensar… é coisa de quem já não procria mais, portanto não interessante. E assim, a cobrança vem de todos os lados. Se for muito carinhosa com a equipe, é mãezona. Se for muito dura, sargentona ou mal-amada. Se for casada, não valoriza muito o trabalho. Se for solteira ou divorciada, é porque ninguém aguenta. E assim continuam as cobranças.

 

Nesse Dia das Mães, se os filhos quiserem de fato dar presentes às suas mães, que cessem as cobranças e tenham um olhar humano às suas mães. Mãe erra, Mãe não é perfeita, Mãe é ser humano que chora, ri, envelhece,  tem dúvidas e luta pela vida.

 

Mas as mães podem se dar um grande presente neste dia. Que as cobranças cessem, pelo menos as cobranças internas. Que saibamos que fizemos e fazemos o que podemos, da melhor forma que conseguimos fazer. Se não é o melhor, é porque realmente não somos perfeitas. Se deixamos de dar amor tanto quanto gostaríamos de ter dado, é porque não conseguimos, mas não porque não quisemos. Se não somos tão bonitas ou elegantes, é porque somos assim, se não somos tão eficazes na comida perfeita é porque talvez não tenhamos o dom para isso, ou talvez a vontade, ou quem sabe as duas coisas.

 

O importante, nesse  dia, é agradecer pelo fato de termos  gestado nossos filhos, agradecer por termos sido canais para que uma ou mais almas viessem ao mundo, agradecer pelo fato de termos, em nós, a grande capacidade de gestar amor, gestar paz, gestar compreensão e carinho, mesmo que de forma imperfeita. E nessa capacidade amora de reconhecimento, agradecer e honrar  nossas mães, que também nos gestaram e erraram tendendo acertar.

 

Assim, Parabéns a todas as mulheres, mães ou não, que são imperfeitas, que erram, mas que buscam incessantemente o amor em todas as dimensões.

 

Feliz Dia das Mães!!!!

 

Fátima Motta

(uma mãe que erra)

104 Post Views
plugins premium WordPress