Como se preparar para a Liderança 4.0?

VOCÊ SABE O QUE É LIDERANÇA 4.0?

Está relacionada à Quarta Revolução Industrial, ou seja, um momento ímpar onde a tecnologia se apresenta como elemento integrante dos negócios, trazendo mudanças profundas na vida de todos nós, seja através da robótica, dos programas, sistemas e aplicativos. A Quarta Revolução Industrial é marcada pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas.

 

“Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes”, diz Klaus Schwab, autor do livro A Quarta Revolução Industrial, publicado este ano.

 

Engenharia genética e neurotecnologias serão em grande parte responsáveis por repercussões que impactarão em como somos e nos relacionamos, afetando, junto com outras tecnologias, o mercado, o futuro do trabalho e a desigualdade de renda.

 

A tecnologia está transformando nossas vidas. Com o efeito combinatório de inovações como inteligência artificial, robótica e blockchain estamos na beira de uma revolução tecnológica que vai alterar a forma como vivemos e trabalhamos em uma escala fundamentalmente diferente.

 

POR QUE REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 4.0?

Cada revolução industrial causa profundas transformações na vida das pessoas.

 

O pioneiro neste conceito é o Dr. Klaus Schwab, fundador do Forum Econômico Mundial (“WEF”) e autor do livro “The Fourth Industrial Revolution”. De acordo com o Dr Schwab, uma revolução industrial é caracterizada pelo aparecimento de “novas tecnologias e novas maneiras de perceber o mundo que impulsionam uma mudança profunda na economia e na estrutura da sociedade.”

 

Vejamos as Revoluções Industriais anteriores à 4.0, segundo Klaus Schwab.

 

Primeira Revolução Industrial: energia baseada em vapor. Por volta de 1760, máquinas a vapor possibilitaram a mecanização da agricultura e da produção têxtil. Isso abriu caminho para a urbanização com a energia a vapor e as máquinas proporcionando tecnologias superiores para navios e ferrovias. O novo centro da vida comunitária passou a ser a fábrica. O avanço da industrialização criou uma classe média de trabalhadores. Cidades e indústrias cresceram mais rapidamente e as economias se desenvolveram.

 

Segunda Revolução Industrial: era da ciência e da produção em massa fomentada pela eletricidade. Invenções tomaram conta do cenário: motor a gasolina, aviões, fertilizantes químicos. O pensamento científico avançava com grandes descobertas na física e também com o aprimoramento do método científico. Princípios do método passaram a ser adotados em fábricas. De forma mais contundente em linhas de montagem que formavam a plataforma para a produção em massa. No início do século 20, Henry Ford e sua empresa estavam produzindo em massa o inovador Ford Modelo T, um carro com motor a gasolina construído em linhas de montagem em suas fábricas.

 

Terceira Revolução Industrial: fomentada pela computação e tecnologias digitais. O marco inicial foi a década de 50 com o desenvolvimento da microeletrônica , mainframes e também com as primeiras discussões sobre Inteligência Artificial. Com o fenômeno de “digitization”, informações que antes eram consumidas ou transmitidas de forma analógica foram substituídas por meios digitais. Por exemplo, uma TV com uma antena (analógica) foi substituída por um dispositivo conectado à Internet e a um serviço de streaming de vídeos (digital).

 

A terceira revolução industrial começou a impulsionar também o fenômeno de Transformação Digital no qual as empresas buscam a melhoria de processos operacionais, a criação de novos modelos de negócios e a integração da experiência do cliente por meio da tecnologia. Nesta era estão presentes o cloud computing, da Internet, os dispositivos que permitem o acesso a essas tecnologias como um um laptop, smartphone ou talvez um tablet.

 

Estamos agora entrando na próxima fase de uma expansão tecnológica surpreendente, Em seu livro sobre a Quarta Revolução Industrial, o Dr. Klaus Schwab descreve assim: “Começou na virada deste século e teve como fundamento a revolução digital. É caracterizada por uma Internet muito mais móvel e global, por sensores menores e mais poderosos e por inteligência artificial e machine learning.”

 

O que impulsiona a Quarta Revolução Industrial são tecnologias como cloud computing, redes sociais, mobilidade, Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (IA), em conjunto com maior capacidade computacional e dados, os Big Data.

 

É um mundo mais inteligente e mais conectado. E está sendo construído em volta de nós, agora mesmo.

 

O que distingue a Terceira da Quarta Revolução Industrial são três fatores, segundo os pesquisadores no Fórum Econômico Mundial:

 

Velocidade: O mundo está mais conectado e tudo é transformado de forma mais rápida do que as outras três revoluções.

 

Alcance: Não são apenas as máquinas que estão mudando, mas os seres humanos e suas relações estão sofrendo profundas alterações de forma imediata.

 

Impacto em Sistemas Interconectados: Os principais sistemas da nossa sociedade, como política, economia, assim como países estão se transformando por conta dos sistemas interconectados.

 

QUAL O IMPACTO DA QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL?

Vejamos alguns dados:

 

Em 2017, mais de 3 bilhões de pessoas estiveram conectadas à Internet e mais de 2 bilhões de pessoas usaram o Facebook;

 

Algumas previsões mostram que em 2020 será mais comum que as pessoas tenham telefones celulares do que eletricidade ou água em suas casas;

 

As crianças nascidas em 2017 talvez nunca dirijam um carro e deverão usar robôs para as tarefas cotidianas;

 

As crianças de hoje serão beneficiadas pelo efeito combinatório dos mundos biológico, físico e digital. Elas participarão dos avanços em ciências, medicina e outras tecnologias que convergirão para eliminar doenças;

 

60 anos após o início da revolução digital (a terceira revolução industrial), ainda estamos nos acostumando com o fato de que computadores estão mudando o mundo, mas a Quarta Revolução Industrial está mais uma vez transformando a forma como os seres humanos vivem, trabalham e se relacionam;

 

Com a conectividade onipresente, a transformação está acontecendo mais rápido do que em qualquer uma das revoluções industriais;

 

(fonte: blog da Sales Force)

 

Nesta Quarta Revolução Industrial, mundo físico e digital são mudados pelas tecnologias e se entrecruzam. As tecnologias que mudam o mundo físico são:

 

  • Biotecnologia
  • Robótica
  • Impressão 3D
  • Novos materiais
  • Internet das Coisas (“IoT”)
  • Transmissão, armazenamento e captura de Energia
  • E as Tecnologias que mudam o  mundo digital são:
  • Inteligência Artificial (IA)
  • Blockchain
  • Novas tecnologias computacionais
  • Realidade virtual e aumentada

 

EFEITOS DE TODAS ESSAS MUDANÇAS

Podemos enumerar alguns dos muitos efeitos, inclusive ainda não imaginados por essas mudanças:

 

  • Aumento da produtividade.
  • Expectativas dos clientes em obter respostas a qualquer hora, no canal e
    meio de sua preferência.
  • Necessidade de produzir e lidar com dados. 90% dos dados foram criados
    nos dois últimos anos e são alimento para inteligência artificial que está
    fomentando inovações em vários tipos de produtos e serviços.

 

Segundo o Fórum Economia Mundial estes são alguns pontos de inflexão que podem ocorrer até 2025:

 

  • 10% das pessoas vestindo roupas conectadas com a Internet;
  • O primeiro robô farmacêutico nos Estados Unidos;
  • O primeiro carro feito em impressora 3D;
  • 5% dos produtos de consumo feitos em impressoras 3D;
  • 90% da população mundial com acesso constante à Internet;
  • Carros autônomos representando 10% da frota de veículos nos Estados Unidos;
  • 50% do tráfego de Internet em domicílios direcionado para dispositivos e equipamentos domésticos;
  • A primeira cidade com mais de 50.000 habitantes e nenhum semáforo;
  • A primeira IA em um conselho de empresa

 

Além disso, poderemos contar com produtos mais sustentáveis, manutenção de peças mais rápida e barata, substituição de ossos e transplante de órgãos a partir de impressões 3D das células tronco de um paciente, implantes neurais e interfaces cérebro-máquina voltadas a doenças cognitiva, entre outras mudanças vitais para nosso planeta.

 

Mas, ao relatar todos esses pontos, a pergunta que fica é:

 

COMO SERÁ A LIDERANÇA 4,0?

Na primeira revolução industrial, tínhamos a presença dos senhores feudais, na segunda revolução industrial, a hierarquia pesada das chefias e supervisão, na terceira, a liderança focada em resultados e pessoas, situacional e servidora. E agora?

 

Com base em tudo que foi dito sobre a Quarta Revolução, as principais habilidades do Líder 4,0 são:

 

Agilidade: o líder 4,0 precisa ser muito ágil na análise das diversas situações, nas tomadas de decisão, na implementação de ideias e de novos serviços, na transformação do que for necessário, na formação e desenvolvimento de equipes.

 

Conexão: o líder 4,0 precisa estar conectado com todos os aspectos que estão ligados direta e indiretamente com o seu negócio, antevendo possíveis impactos positivos ou não, sem ficar preso a resistências.

 

Abertura e Disposição para Aprender: O líder 4,0 terá sucesso se apresentar uma imensa abertura ao novo, flexibilizando seus modelos mentais para toda e qualquer ideia vinda das mais diferentes fontes, dispondo-se a aprender em tempo integral.

 

Capacidade de Ensinar: O líder 4,0 terá acesso a muitas informações e rapidamente precisa transferi-las a todos, ensinado a cada situação, orientando, dando feedbacks frequentes e estimulando a equipe a aprender a aprender.

 

Empatia com o cliente: O líder 4,0 precisa sentir a necessidade do cliente, utilizando todas as informações disponíveis, para ser capaz de oferecer experiências que  vincule o cliente à marca, produto ou serviço.

 

Inteligência Interartificial: O líder 4,0 precisa desenvolver Inteligência para lidar com a inteligência artificial, tanto no que se refere ao seu entendimento como aplicação. Robôs colaborativos trabalharão lado a lado com profissionais para gerar mais produtividade. Portanto, o líder precisa ser mais criativo e quem quer conquistar espaço nas empresas do futuro deverá desenvolver novas habilidades.

 

Inteligência intrapessoal: O líder 4,0 terá como grande desafio saber lidar com outras pessoas, formar equipes com uma comunicação aberta e rápida, sem melindres e simples, para que a agilidade aconteça.

 

Inteligência Interpessoal: O líder 4,0 acima de tudo precisa lidar consigo mesmo, com o reconhecimento da sua personalidade, das suas forças e fraquezas, para que, de forma sustentável, consiga lidar consigo mesmo, preservando sua saúde física, emocional e mental, porque, apesar de todas as mudanças que estão aí, o ser humano continua sendo humano, passível de sentimentos, emoções, desejos e necessidades, nem sempre programáveis, nem controláveis.

 

Visão ampla e Multidisplinar: O líder 4,0 precisa ser um grande visionário, ter uma visão que abranja o ontem, o hoje e o amanhã, além de entender e precisar ensinar, assim como estimular a multidisplinaridade para sua equipe.

 

O papel do líder, em um cenário onde as tarefas repetitivas não ficarão mais nas mãos dos seres humanos e sim dos robôs, passa a ser a de alinhar as tarefas e implementar ações para a equipe trabalhar unida, afirma Eduardo de Senzi Zancul, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

 

Isso exige de cada um dos líderes uma grande revisão nos seus modelos mentais, nos seus padrões de sucesso e ter como padrão o questionamento para buscar o novo com agilidade, simplicidade e foco.

 

Como fazer tudo isso?

 

Fazendo, simples assim.

 

Falaremos mais nisso na nossa Escola de Liderança, com nossos cursos e Webinars.

 

Profa. Dra. Fátima Motta

125 Post Views
plugins premium WordPress